Técnicas de ilustração à mão livre
Do ambiente construído à paisagem urbana

Un libro de Eduardo Bajzek

Disponible

Entender os fundamentos do desenho é muito importante no processo criativo e no domínio de ferramentas mais avançadas.

Sem essa base técnica, inúmeros profi ssionais não conseguem desenvolver e transmitir suas ideias, ou pelo menos não tão bem quanto gostariam.

Este livro abrange toda a informação necessária sobre a arte de desenhar à mão livre. Por meio de técnicas que vão da linha à perspectiva, do grafi te à aquarela, tais fundamentos são apresentados de maneira prática, com exemplos de centenas de desenhos e sketches, frutos de mais de 20 anos de produção do autor.

Destinado a todos os profi ssionais das áreas criativas, que usam ou pretendem usar o desenho em seu dia a dia, este livro vai inspirá-los!

Descripción técnica del libro:

22 x 22 cm
168 páginas
Portugués
ISBN/EAN: 9788584521500
Rústica
2019 (2ª tirada)
Descripción
Descripción

Detalles

Entender os fundamentos do desenho é muito importante no processo criativo e no domínio de ferramentas mais avançadas.

Sem essa base técnica, inúmeros profi ssionais não conseguem desenvolver e transmitir suas ideias, ou pelo menos não tão bem quanto gostariam.

Este livro abrange toda a informação necessária sobre a arte de desenhar à mão livre. Por meio de técnicas que vão da linha à perspectiva, do grafi te à aquarela, tais fundamentos são apresentados de maneira prática, com exemplos de centenas de desenhos e sketches, frutos de mais de 20 anos de produção do autor.

Destinado a todos os profi ssionais das áreas criativas, que usam ou pretendem usar o desenho em seu dia a dia, este livro vai inspirá-los!

Eduardo Bajzek é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Mackenzie e premiado pela American Society of Architectural Illustrators. Ele trabalha há 20 anos como ilustrador, professor de desenho e urban sketcher.

Índice de contenidos
Índice de contenidos

ÍNDICE

PREFÁCIO 

FUNDAMENTOS 
Linha 
   Linha descritiva e linha gestual 
   A linha em todo o seu potencial 
Plano, superfície e textura 
   Materializando planos 
   Sombras do plano 
   Superfície 
   Textura 
Sólidos geométricos 
   Criando sólidos a partir de planos 
   Materialidade – criando volume nos sólidos 
   Criando cortes nos sólidos 
   Desenvolvendo os sólidos 
   Sombras básicas dos sólidos 
GALERIA DE TÉCNICAS I: Grafite 
   O grafite e a lapiseira 
   O esfuminho 
   As borrachas 
   Camadas de preenchimento com grafite 

PLANTA BAIXA 
“Quero morar em seus desenhos” 
   Luz e sombra 
   Planta baixa - Passo a passo 
   Misturando prancheta e computador 
   Vegetação em planta baixa 
GALERIA DE TÉCNICAS II: Canetas-marcadores 
   Marcas 
   Preenchimento com marcadores 
   Os papéis empregados com marcadores 

ELEVAÇÃO 
Os meios para criar impressões 
   Sombras 
   Organização em planos 
   Valores tonais/cores 
   Vegetação 
Estudo completo de uma elevação a lápis 
Estudo completo de uma elevação colorida 
Galeria de exemplos 
GALERIA DE TÉCNICAS III: Lápis de cor 
   Marcas 
   Aplicação 

PERSPECTIVA 
A perspectiva como ferramenta de processo 
Perspectiva como produto de projeto 
Direto ao ponto 
Montagem de perspectivas 
Traços, pb ou coloridas? 
Galeria de exemplos 
GALERIA DE TÉCNICAS IV: Aquarela 
   Material 
   Tintas 
   Pincéis 
   Papéis 

DESENHO DE VEGETAÇÃO 
Arbustos 
Árvores 
Palmeiras 

DESENHO URBANO 
Urban sketchers 
Técnicas 
A escolha da técnica 
Suportes 
Acessórios 
Temática 
Abordagens 

Lee un fragmento
Lee un fragmento

PREFÁCIO
Em 1993, ingressei na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo motivado principalmente por uma paixão que me acompanhava desde a infância: o desenho.

Na faculdade e nos estágios por onde passei aprendi a elaborar desenhos técnicos com bastante fluidez e profundidade graças aos ótimos professores e chefes com quem pude conviver. Os estágios, principalmente, me deram uma excelente base técnica para desenhar desde os detalhes de um projeto de interiores até projetos executivos e perspectivas de um edifício inteiro.

Já nessa época, eu realizava perspectivas artísticas como freelancer para alguns arquitetos e decoradores.

Foi só no último ano da faculdade que passei a trabalhar com o Autocad e, mesmo assim, não parei de desenhar à mão livre. Meu trabalho de conclusão de curso foi todo elaborado sem o auxílio do computador.

Nos primeiros anos depois da graduação continuei fazendo perspectivas artísticas no tempo disponível entre projetos e obras, até que por volta de 2002 decidi me dedicar seriamente à carreira de ilustrador de arquitetura.

Lá se vão quase vinte anos, e já são mais de duas mil as ilustrações que se acumulam em numerosas pastas nas minhas prateleiras...

Outro desdobramento do meu trabalho veio em 2008, quando comecei a preencher as páginas do meu primeiro sketchbook, durante uma viagem pela Itália e a Suíça. Essa minha nova etapa coincidiu mais ou menos com o surgimento de dois movimentos de desenhistas urbanos que se popularizaram mundialmente: o Urban Sketchers, que surgiu em 2007, e os famosos Sketchcrawls, de 2006.

Em 2011, participei do 2º Simpósio Internacional de Urban Sketchers, em Lisboa, e foi esse evento que impulsionou, de maneira definitiva, essa nova relação com o desenho na minha carreira e na minha vida de uma forma geral. Os sketchbooks — ou diários gráficos como chamam alguns — são agora parte da minha rotina. Sempre que posso, registro aquilo que me chama a atenção por aí, na minha cidade ou nas minhas viagens.

Foi também por essa época que comecei a dar aulas particulares de desenho, aulas que logo virariam cursos de longo prazo para turmas pequenas. Esses cursos se transformaram, ganharam diferentes formatos, mas a essência permanece intacta: o objetivo é compartilhar os conhecimentos práticos que adquiri ao longo da carreira.

Este livro pretende estruturar e amplificar esses conhecimentos, que transitam entre o técnico e o artístico. É um livro de fundamentos, técnicas e abordagens universais de desenho, que se apoiam no tema da arquitetura. Vale salientar, entretanto, que estes ensinamentos não se direcionam somente a arquitetos: são úteis e incrementam o repertório de qualquer pessoa interessada em desenvolver e aprimorar essa forma de expressão.

A IMPORTÂNCIA DO DESENHO
O desenho é uma ferramenta de grande valia e importância na carreira de arquitetos, paisagistas, designers, ilustradores, pintores e urban sketchers. Nesse sentido, considero o desenho como um conjunto de habilidades específicas que auxiliam na construção de cenas, sejam elas imaginárias, representações gráficas de um projeto ou mesmo resultado da observação do “real”. Essas habilidades específicas abarcam o conhecimento das qualidades da linha, a compreensão de planos, sólidos e perspectiva, entre outras coisas. Já ouvi muitos pintores ou aquarelistas lamentarem que não conseguem desenvolver melhor o seu trabalho por “esbarrarem na perspectiva”; ou estudantes e profissionais de Arquitetura dizerem que não conseguem “colocar as ideias no papel”. O desenho amplia suas possibilidades, criando a fluência necessária para que o processo criativo seja mais intuitivo e dinâmico.

SOBRE A ESTRUTURA DESTE LIVRO
Este livro está dividido em 6 capítulos: Fundamentos, Planta Baixa, Elevação, Perspectiva, Desenho de Vegetação e Desenho Urbano. Além dos capítulos, temos 4 galerias técnicas: grafite, canetas-marcadores, lápis de cor e aquarela. O intuito dessa divisão é apresentar as questões ligadas ao desenho e às técnicas da forma mais prática possível, premissa que sempre norteou meus cursos. 

O capítulo Fundamentos apresenta as ferramentas básicas de expressão: a linha, os planos e os sólidos. Compreender e se apropriar destas ferramentas é imprescindível para mais tarde nos debruçarmos sobre questões mais complexas como a perspectiva. 

O capítulo que tem como tema a Planta Baixa oferece a oportunidade de falarmos sobre cores, texturas e projeção de sombras, ainda em um plano bidimensional.

Em seguida, no capítulo Elevação, abordaremos a composição e a organização do processo gráfico, em planos e valores tonais. Nesse tema, nos aprofundaremos no estudo das sombras projetadas.

No capítulo Perspectiva, estudaremos os conceitos principais desta importante ferramenta. Falaremos ainda, entre outras coisas, da construção de ilustrações artísticas, através de vários exemplos práticos. 

Na sequência, exploraremos dois dos meus temas preferidos: o Desenho de Vegetação, de grande importância na composição de cenas, e o Desenho Urbano, que pretende mostrar como a prática do desenho de observação se beneficia de um embasamento técnico mais aprofundado e como esta atividade enriquece, em grande medida, o processo criativo de um modo geral.

Espero que você encontre neste livro tudo aquilo que precisa para se aprofundar na prática do desenho!

Copyright dos textos: os autores
Copyright da presente ediçao: Editorial Gustavo Gili SL

Opiniones

DANOS TU OPINIÓN

Escribir Tu Propia Revisión

Estás revisando: Técnicas de ilustração à mão livre

¿Cómo valoras este producto? *