ENVÍO GRATIS A ESPAÑA en pedidos superiores a 20 €

A ilusão especular
Uma teoria da fotografia

Agotado

Avísame cuando este producto tenga stock:
Correo electrónico:
12,00 €
13 x 20cm
184 páginas
Portugués
ISBN/EAN: 9788584520329
Rústica
2015

Reedição desta obra de Arlindo Machado, que já se tornou um clássico e uma referência na teoria da história da fotografia.

O autor explicita de forma contundente os diversos meandros da fotografia em sua tentativa de se manter como fiel representação da realidade e, consequentemente, na manutenção da perspectiva central como uma representação realista e desprovida de qualquer ideo...

Leer más
Descripción
Descripción

Detalles

Reedição desta obra de Arlindo Machado, que já se tornou um clássico e uma referência na teoria da história da fotografia.

O autor explicita de forma contundente os diversos meandros da fotografia em sua tentativa de se manter como fiel representação da realidade e, consequentemente, na manutenção da perspectiva central como uma representação realista e desprovida de qualquer ideologia intrínseca. A partir daí, analisa imagens que obtiveram êxito em se desprender dessas armadilhas, denunciando o próprio mecanismo de ação do chamado “efeito especular”.

Segundo o autor, “a fotografia é um ‘texto’ como outro qualquer, que se constrói através de uma articulação simples ou sofisticada de seus elementos expressivos. Não há nem mais nem menos ‘manipulação’ numa foto (e, por extensão, num documentário, numa imagem de telejornal) do que num texto jornalístico, numa pesquisa de sociologia ou num tratado de filosofia. Isso não quer dizer que não exista uma ‘verdade’, um ‘fato’ do qual buscamos nos aproximar, seja fotografando, seja verbalizando, mas essa aproximação só pode ser uma construção, necessariamente coletiva, que se dá através de um amplo processo de negociação entre os sujeitos sociais”.

Arlindo Machado
Índice de contenidos
Índice de contenidos

Sumário

Nota à segunda edição
Recolocações (à guisa de introdução)

Mística da homologia automática
Tempos congelados pelo obturador
Arquétipos pictóricos na fotografia
A perspectiva, ou o olho do sujeito
Recorte do quadro e alusão ao extraquadro
Sutura e transferência do sujeito
Poder e arbítrio do ângulo de tomada
Fissuras na profundidade de campo
Lentes bizarras, histeria, alucinações
Aura e materialidade

Uma conclusão provisória
Referências bibliográficas

La prensa ha dicho
La prensa ha dicho

A ilusão especular

(Redação, Blog Juan Esteves, 06/2015)

Acceder

«Publicado originalmente como A ilusão Especular, introdução à fotografia (Brasiliense, 1984), com apoio do extinto Instituto Nacional da Fotografia/Funarte, agora traz uma mudança no subtítulo: “uma teoria da fotografia”.» (Redação, Blog Juan Esteves, 06/2015)

A ilusão especular

(Rodrigo F. Pereira, Câmara obscura, 12/07)

Acceder

«O autor explicita, de forma contundente, os diversos meandros da fotografia na sua tentativa de se manter como fiel representação da realidade, e consequentemente, na manutenção da perspectiva central como uma representação realista e desprovida de uma ideologia intrínseca. A partir daí, mostra imagens que obtiveram êxito em se desprender dessas armadilhas, denunciando o próprio mecanismo de ação do chamado “efeito especular”.» (Rodrigo F. Pereira, Câmara obscura, 12/07)

A ilusão especular

(Ronaldo Entler, Revista Zum, 08/15)

Acceder

«O sucesso de um livro é normalmente medido pelo número de edições que alcança. Mas esse raciocínio não vale para A ilusão especular, de Arlindo Machado, publicado em 1984 numa parceria entre a editora Brasiliense e o Instituto Nacional de Fotografia da Funarte. Esgotado há décadas, sabemos que as universidades brasileiras nunca deixaram de incluir esse título na bibliografia de seus cursos de comunicação e artes, e o texto permanece citado de modo recorrente nas dissertações e teses dedicadas à fotografia.»(Ronaldo Entler, Revista Zum, 08/15)

A ilusão especular

(Ronaldo Entler, Icônica, 08/15)

Acceder

«O sucesso de um livro é normalmente medido pelo número de edições que alcança. Mas esse raciocínio não vale para A ilusão especular, de Arlindo Machado.» (Ronaldo Entler, Icônica, 08/15)

Opiniones

DANOS TU OPINIÓN

Escribir Tu Propia Revisión

Estás revisando: A ilusão especular

¿Cómo valoras este producto? *